quarta-feira, 8 de julho de 2009

Corações

corações fugitivos,

não há razões

não há motivos.

no entanto,

correm,fogem

para bem longe

outro lugar,

à procura do luar,

do pôr do sol,

do cintilar das estrelas...

fogem, correm

numa palete de cores,

num paraíso de flores

rebolar e sorrir

gargalhadas

brincam um conto de fadas;

correm cansados

esquecendo passados

construindo futuros.

querem mas não querem esquecer,

evitam pensar no que desmotiva

na desilusão de amar

crueldade viva!

sofrimento puro

que sentiram outrora

e ainda não foi embora.

fogem, esgotados

com pernas curtas 

e braços cortados,

sem objectivo

mas com aquele sorriso...

esperança,

vontade de recomeçar

e a coragem de acreditar,

continuam, sem se cansarem.

atravessam o horizonte

cada vez mais pequenos

vão desaparecendo,

de temperamentos amenos

e personalidade apática.

corações, corações

no mundo das sensações.


Mariana Cruz

2006