domingo, 27 de junho de 2010

open your eyes

Somos todos iguais
por mais pobres
por mais banais,
por mais burros
por mais especiais
por mais...
afinal é fácil viver
é tao simples pereceber,
são todos como eu
previsivelmenteve imprevisiveis
ingénuos e traiçoeiros,
frios mas sensíveis
orgulhosos, egoístas,
somos seres despreziveis
espertos... e calculistas.
eu sei que sim
eu sei tudo,
conheço-me a mim
conheço todos,
conheço o meu pior
tudo o resto não me surpreende,
tudo o que os outros sabem de cor
não interessa, não se aprende,
o que é importante
aparece
a quem merece,
o mal que todos fazem
perdoa-se mas não se esquece
tudo o que não é importante
nao existe, não acontece.
não me enganam
porque eu compreendo,
é tudo tão básico
infelizmente catártico
a verdade não desaparece,
porque ninguem é mágico
a mentira... não me arrefece
porque ser fraco, é ser sádico
e eu, só na cama o sou,
tudo o que eu tenho
é tudo o que eu não dou,
posso ser tudo
mas os humanos são animais
e não vale a pena,
não vale dar demais
porque somos todos feitos do mesmo
e todas as mentes são iguais.