quarta-feira, 8 de julho de 2009

2008 odisseia no espaço

voltou aquela sensação

uma mistura de ansiedade

caprichos e solidão

que me deixa sem vontade.

estou a viver um 'autodesgosto',

não quero mas faço parecer que sim

escrevo uma história que não tem fim,

é tão pouco....

mas tem tanto poder em mim.

um passo à frente de coragem

um passo atrás de fraqueza 

um pensamento, uma viagem,

uma atitude de esperteza

mas não consigo a solução

que, por mais incrível que pareça,

está do pé para a mão.

vivo esta luta escusada

de perceber o que me faz feliz

é aquilo que deve ser feito?

ou o que o amigo diz?

eu sei que devo ouvir o coração

mas... e quando ele se contradiz?

não sei o que é realmente correcto

estou sempre a mudar o conceito de certo,

estou sempre a perspectivar

vivo um presente manipulado

por um passado ensinado

para um futuro destinado,

e tudo por causa de amor,

essa personagem

com forma de coração

de personalidade selvagem,

tem dentes de leão,

quando quer é nosso dono,

consegue tirar-nos o sono

não tem piedade 

e é casado com a saudade.

a batalha está a meio 

vou continuar a construir o muro

impedir-te de entrares no meu mundo,

ser humano é tão duro...


Mariana Cruz

2008