quinta-feira, 5 de julho de 2012

Alter ego

Partes-me o coração
tens-me na mão,
vais no escurecer
pões-me a tremer;
és dificil, confuso
falta-te um parafuso
a mim falta-me o ar
só de pensar.
ficas em ti
não te dás,
ele sabe o que quer
e tem o que faz
gostar-te é um clichê.
o homem que não chora
que não teme, não cora
de pequenos braços gigantes
faz parecer poético
um momento de amantes,
faz crer-te que o chão
é lençol de diamantes,
faz de ti princesa
pensas sair ilesa...
de mente sã, pés assentes
perdes o controlo de ti,
por mais que sejas poderosa
agora a história é cor de rosa
daquelas que odeio.
sabe fazer-te adorar
com a dor que tens no corpo
não consegues parar
doi-te e queres mais...
escreves poemas pirosos
olhas para os demais
e não os vês charmosos
só queres aquele vinho...
que sabe a beijos
que te cria desejos.
sabe bem esta força
que te faz perder o controlo
é magnetismo puro
é musica que dura.
tu voas, sentes-te livre
sorris como uma tonta
perdida num céu distante
de respiração ofegante,
conheces-te um novo eu
que não sabes como lidar
és a estranha na tua vida
mas é isso que te faz gostar.