domingo, 21 de outubro de 2012

Noite


Estou triste 
por ter saudades de estar triste,
estou no centro
mas sinto-me em baixo
... já conheço o cume...
é como encontrar um cigarro
e não ter lume,
é como ser chama a derreter
inverno a ferver
amor a doer.
desperdiço-me
sempre que vagueio
o tempo não pára 
e cá estou eu no meio
de perna cruzada
com meias de liga
à espera, à moda antiga,
ele até pode aparecer
mas eu nem quero!
só preciso que aconteça
para ver se é sincero,
a satisfação mata o desejo
e eu só anseio desejar,
a bela adormecida
está longe de acordar,
prefiro este sono de sonhos
prefiro a mente dormente.
Sou brutalmente romântica
no seu modo literal
sou bruta, selvagem
e procuro alguém igual,
apenas para encontrar
ver ao longe e acenar.
estou feliz por estar triste
por pensar que não existe
e estar segura apenas de mim.
se calhar sou bipolar
se calhar sou só parva
e até sei que não mereço.
uma cama fria é poderosa
tem fome e engole-nos 
entre almofadas cor de rosa,
mas no sono profundo
o coração não arrefece
e é isso que ilumina
mais um dia que anoitece.