segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Zeitgeist

É o sexo que move a humanidade
As aventuras dizem quem somos
os orgasmos ditam a felicidade,
Pensem, reflictam, assumam
e digam-me se não é verdade.
O sexo engana
faz-nos crer que se ama,
leva-nos a dizer amor,
deixa-nos loucos;
Estar apaixonado
é estar demente de sexo,
é mais humilde dizer
estou estúpido e excitado.
amo-te orgasmo
beija-me, bate-me
faz-me vir em sorrisos
sem limites, sem juízos,
é por ti que choro,
é a ti que odeio e adoro
todos lutam por ti
quando chegas
toda a gente sorri
quando estas quase
todo o ser te ama,
nunca digam isso na cama,
não digam nunca,
Não sejam mentirosas,
Não sejam falsos.
É o sexo que nos move
Nos inspira, nos comove
Todos os homens mentem
Todas as mulheres enganam,
o verbo não importa,
é o sexo que nos torna assim
que faz de nós más pessoas
egoístas vezes sem fim,
cobardes poderosos
ratos satisfeitos,
Escravos de deleites.
O sexo é a personalidade,
é ele que nos iguala
temos todos a mesma idade
O sexo torna-nos selvagens
monstros depravados
caçadores de vantagens,
de mais, gozo, prazer
de bocas, peitos, pés
queremos tocar, vir, ter.
A natureza é patética
É naturalmente sádica
ao tornar o prazer em maldade,
amor é apenas um eufemismo
é o sexo que move a humanidade.